Horário de Brasilia

Irán Eory, 10 anos sem a estrela


Irán Eory Iníciou sua brilhante carreira de atriz na Espanha. Seu primeiro trabalho foi no cinema com o filme "El diablo toca la flauta" em 1954 e a partir daí não parou mais. Seguiram-se outros trabalhos, ainda no cinema como: Fray Escoba em 1963 ao lado de René Muñoz (faleceu no dia 11 de maio de 2000 na Cidade do México, vítima de câncer do esôfago e complicações nos rins e no pulmão); atuou em "Noblezaá Baturra" em 1965 com Vicente Parra e "Una chica para dos" em 1968 e tantos outros trabalhos.
Além de atuar no cinema e na televisão, Irán Eory também era cantora, e chegou a ganhar, em 1964, o El Festival de Benidorm na Espanha, com a música "Eternidad". Chegou ao México em 1969, acompanhada de seus pais e convidada por Yolanda Dulche para gravar "Rubí, La Descarada" seu primeiro filme em solo mexicano, com Aldo Monti e Carlos Bracho.
No México, sua primeira telenovela foi "Encrucijada" em 1970, com Jacqueline Andere e Enrique Aguilar; e "Las máscaras" em 1971, ainda no ano de 1971, foi ao ar a telenovela que a fez ser conhecida em toda a América latina, "El amor tiene cara de mujer" com a participação da magnifica atriz Silvia Derbez também já falecida (faleceu no dia 6 de abril de 2002 na Cidade do México, de câncer pulmonar aos 70 anos de idade), Irma Lozano e Lucy Gallardo.
Outras telenovelas: "Mundo de juguete" 1974, "Dominica Monteiro" em 1978, "Rosángela" de 1979, na Venezuela, "Principessa" em 1984, além de outras. Foi cantora, bailarina, fez teatro musical e tocava vários instrumentos musicais como piano, acordeon, guitarra e falava várias línguas.
Foi casada com o ator cômico mexicano Mario Moreno o Cantinflas, que faleceu em 1993. Em 1999, Eory sofreu um edema cerebral, que a manteve hospitalizada por um tempo e afetou a mobilidade do seu lado esquerdo do corpo. Ela vivia em seu apartamento na Colônia Nápoles junto de sua mãe. A última vez em que Irán Eory apareceu em público na tv foi na Univision, nos Estados Unidos no programa da apresentadora Martha Susana.
Duas semanas depois, na sexta-feira 8 de março de 2002, desmaiou em sua casa e foi levada para o Hospital Inglês na Cidade do México, onde veio a falecer na manhã de domingo, dia 10 de março de 2002 às 07:35, aos 63 anos de idade, após entrar em coma e sofrer um derrame cerebral.
Seu último trabalho na televisão foi em 2001 na novela Aventuras en el tiempo, onde fez uma participação especial. Ao falecer deixou viúvo o também ator chileno Carlos Monden(casados desde 1986-2002) e sua mãe dona Ángela. Nunca teve filhos, seu corpo foi cremado, e suas cinzas foram depositadas juntas a de seu pai (falecido em 1989), no Panteón de las Lomas de Chapultepec na Cidade do México. Dona Ángela faleceu um ano depois, em maio de 2003.
Veja o especial sobre a carreira da atriz:
Compartilhar no Google Plus
Postar um comentário
Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial

La botana